Arquivo da categoria: Humor

Santa Maracutaia

Padrão

 

A explicação para a derrota do Brèsil contra a Blitzkrieg ontem foi encontrada.

Um grupo de hackers russos, comandados pelo Snowden estava há algum tempo tentando hackear as atas da FIFA que eram armazenadas em um banco Suíço visando quebrar a banca de apostas de Londres. Finalmente conseguiram, mas a criptografia era tão ferrada que só ontem eles conseguiram quebrar e publicar na Darknet.  Só quem navega com o Tor conseguiu ver, e o arquivo se auto-apagou imediatamente após ser lido.  Mas, eu consegui ler a parte mais importante.

Segundo essa fonte altamente confiável, os Coitados Unidos haviam comprado o segundo lugar e o primeiro lugar estava reservado para a Holanda. O Brèsil viria em terceiro.

Mas, eis que senão quando, o Sep Blatter e toda a diretoria da FIFA foram convocados ao Vaticano para uma reunião com o Chico Papa, que exigiu que a Argentinha fosse a vencedora da Copa do Mundo de 2014.

Colocou-se, assim, uma situação delicada.

Os cartolas convocaram as confederações e os técnicos  dos times e expuseram o problema. O Filipão não se importou muito porque desde o início o Brèsil seria o terceiro, mas lembrou aos cartolas que uma final envolvendo a Argentinha no Maracanã poderia criar uma situação de alto risco para o time e para os espectadores.

Convocaram os especialistas do departamento de maracutaia da FIFA, que têm uma enorme experiência, mesmo com o recente desfalque de seu mais importante membro, e depois de uma análise holística, eles vieram com a solução:

1-      Anular a zaga do Brasil  (O juiz foi instruído a dar cartão amarelo ao Tiago Silva e interditá-lo)

2 –   Avisar os jogadores para amolecer e perder o jogo. Todos menos o Fred.  Não precisa.

3-      Anular o Neymar. O Zuñiga foi convocado a agredir o Neymar, e este seria retirado da copa – o Neymar estava preocupado com a repercussão da derrota do Brèsil sobre sua carreira. (Aquela conversinha que o Neymar tem com o Zuñiga antes do incidente foi a combinação do esquema)

4-      Humilhar a seleção brasileira de tal forma que a seleção da Argentinha seja transformada em vingadora da honra do Brasil na final da copa, e assim galvãonizar (sim, galvãonizar) o apoio da torcida brasileira em favor da Argentinha e anular o perigo de incidentes na final.

Os Coitados Unidos receberam o dinheiro que tinham pago (o Vaticano providenciou tudo) e o assunto foi sacramentado pelo Papa Chico.

Dominus Vobiscum!

Anúncios

Teria Gezuis apoiado o vale-refeição?

Padrão

Tradução José Filardo

 AlterNet  / Por  CJ Werleman

A direita está cheia de analfabetos bíblicos: Eles ficaria chocados pelos ensinamentos de Jesus se alguma vez pusessem a mão em uma Bíblia

Bill O’Reilly da Fox News defendeu os cortes de gastos do Partido Republicano para o NAP declarando efetivamente que Jesus não apoiaria o vale-refeição para os pobres, porque a maioria deles é viciada em drogas. Se sua observação insensível é inconsistente com as Escrituras, e ela é, então, a questão torna-se, por que as cabeças falantes da direita se saem bem mesmo proclamando o que Jesus apoiaria ou não?

A resposta é simples: Conservadores não leem a Bíblia.

O Direito transformou com sucesso o judeu liberal de pele morena que dava assistência médica gratuita e era favorável à redistribuição da riqueza, em um conservador de pele branca, anti-impostos, anti-sindical, pelo fato de que um número esmagador de americanos são surpreendentemente analfabetos quando se trata de compreender a Bíblia. Em questões sociais polêmicas, desde o casamento do mesmo sexo ao aborto, passagens bíblicas são invocadas sem qualquer compreensão real do contexto ou do verdadeiro significado. É surpreendente como os cristãos sabem pouco do que ainda é o livro mais popular que jamais surgiu no continente americano.

Mais de 95 por cento dos lares americanos possuem pelo menos um exemplar da Bíblia. Então, quanto os americanos sabem do livro que um terço do país acredita ser literalmente verdade? Aparentemente, muito pouco, de acordo com dados do grupo Barna Research. Pesquisas mostram que 60 por cento não consegue nomear mais do que cinco dos Dez Mandamentos; 12 por cento dos adultos acha que Joana D’Arc era a esposa de Noé, e quase 50 por cento dos alunos do colegial pensam que Sodoma e Gomorra eram casados. Uma pesquisa do Gallup mostra que 50 por cento dos norte-americanos não consegue dar o nome do primeiro livro da Bíblia, enquanto cerca de 82 por cento acredita que “Deus ajuda quem se ajuda” é um versículo bíblico.

Assim, se os americanos recebem nota zero em fundamentos básicos da Bíblia, que esperança eles têm em saber o que Jesus diria sobre os sindicatos, os impostos sobre os mais ricos, assistência médica universal e vale-refeição? Fica fácil espalhar uma mentira quando ninguém sabe o que é a verdade.

A verdade, se os republicanos gostam ou não, não só é que Jesus era um judeu liberal manso e suave, que falava baixinho em parábolas e metáforas, mas que os conservadores foram aqueles que mandaram matá-lo. Os conservadores americanos, no entanto, transformaram Jesus em um guerreiro masculino musculoso, da mesma forma que os nazistas fizeram, como um meio de combater o que eles veem como a modernização da sociedade.

O autor Thom Hartmann escreve: “Um impulso significativo por trás do ataque às mulheres e à modernidade era o sentimento de que as mulheres tinham invadido esferas masculinas tradicionais, como o local de trabalho e faculdades. Além disso, a liderança das mulheres nas igrejas tinha prejudicado o cristianismo através da criação de um clero afeminado e um fraco sentido de si mesmo. Tudo isso foi associado ao liberalismo, feminismo, mulheres e à modernidade “.

É quase absurdo especular qual seriam as posições de Jesus sobre qualquer questão, dado que sabemos tão pouco sobre quem Jesus era. Conhecer o Novo Testamento não é simplesmente uma questão de ler a Bíblia de uma capa à outra, ou memorizar um punhado de versículos. Conhecer a Bíblia exige uma compreensão contextual acadêmica de autoria, história e interpretação.

Por exemplo, quando os Republicanos estavam justificando seus cortes no programa de vale-refeição, eles citavam 2 Tessalonicenses: “Qualquer pessoa não disposta a trabalhar não deve comer”. Uma pesquisa mostrou que mais de 90 por cento de cristãos acreditam que essa citação do Novo Testamento é atribuída a Jesus. Não é. Ela foi retirada de uma carta escrita por Paulo à sua igreja em Tessalônica. Paulo escreveu a essa congregação específica para lembrá-los de que, se eles não ajudassem a construir a igreja em Tessalônica, eles não seriam pagos. E a carta também não passa de uma fraude. Surpresa! Os estudiosos da Bíblia concordam que é uma falsificação escrita por alguém fingindo ser Paulo.

O que muitas vezes vem como uma surpresa para o cristão médio consumidor de vinho e hóstia é que o Novo Testamento não caiu do céu no dia em que se diz ter o fantasma de Jesus ascendido ao céu. O Novo Testamento é uma coleção de escritos, 27 no total, dos quais 12 são creditados à autoria de Paulo, cinco aos Evangelhos (quem quer que escreveu Lucas também escreveu Atos), e o saldo permanece aberto para debate ou seja, autoria desconhecida. O próprio Jesus jamais escreveu uma única palavra do Novo Testamento. Nem um único poema, muito menos um artigo de opinião sobre o por quê de, após reflexão, matar sua filha por uma resposta malcriada, provavelmente, não soa boa paternidade.
O melhor argumento contra um Jesus histórico é o fato de que nenhum de seus discípulos nos deixou um único registro ou documento sobre Jesus ou seus ensinamentos. Então, quem eram os autores dos evangelhos? A resposta curta é que não sabemos. O que sabemos é que não só nenhum deles jamais se encontrou com Jesus, mas também que eles nunca encontraram as pessoas que supostamente encontraram Jesus. Tudo o que temos é um monte de histórias ao redor de fogueiras contadas por pessoas que nasceram gerações depois da suposta crucificação de Jesus. Em outras palavras, vários autores não identificados, cada um com seus próprios motivos teológicos e ideológicos para escrever o que escreveram. Assim, não temos um único testemunho ocular independentemente verificável ​​de Jesus – mas isso não impede os Republicanos de falar em seu nome.

O que sabemos sobre Jesus, pelo menos de acordo com os respectivos evangelhos, é que sentimentos de Jesus ecoavam de perto as políticas sociais e econômicas da esquerda política. As bem-aventuranças do Sermão da Montanha soam como declaração de missão da ACLU: “Bem-aventurados os pobres, porque deles é o reino dos céus”, “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra” e “Bem-aventurados os pacificadores”. Jesus também disse:” Não julgueis aquele que não será julgado” e “Vende o que tens e dá-o aos pobres”.

Assim, quando os Republicanos acusam Obama de ser um socialista de pele escura que quer redistribuir a riqueza, eles estão pensando em Jesus. Stephen Colbert brincou: “Jesus estava sempre batendo boca sobre os pobres, mas nunca ele clamou por um corte de impostos para os dois por cento dos romanos mais ricos.”

O analfabetismo bíblico é o que tem permitido que o Partido Republicano se saia bem ao forjar Jesus à sua imagem. É por isso que os políticos da direita podem se safar dizendo que o Senhor ordena que nosso sistema de saúde, prisões, escolas, aposentadoria, transporte, e todo o resto deve ser administrado por empresas com fins lucrativos. Ironicamente, o Jesus republicano era realmente um ateu devotado – Ayn Rand, que chamou a religião cristã de “monstruosa”. Rand defendia o egoísmo em detrimento da caridade, e ela dividia o mundo em realizadores contra usurpadores. Ela também declarou que os seguidores de sua filosofia tinham que escolher entre Jesus e seus ensinamentos. Quando a direita cristã acredita que está canalizando Jesus quando dizem que é imoral para o governo tributar bilionários para ajudar a pagar os cuidados de saúde, a educação e os pobres, eles estão, na verdade, canalizando Ayn ​​Rand. Quando Bill O’Reilly afirma que os pobres são imorais e preguiçosos, isso não é Jesus, é Ayn Rand.

O preço que este país pagou pelo analfabetismo bíblico é medido por quão longe nós nos movemos em direção à utopia de Ayn Rand. Nas últimas três décadas, reduzimos os impostos sobre as grandes empresas e os ricos, destruímos os sindicatos, desregulamentamos os mercados financeiros, corroemos as redes públicas de segurança e comprometemo-nos com uma acordo de livre comércio corporativo globalista atrás do outro. Rand estaria sorrindo para nós do céu em que ela não acreditava.

Com a extrema-direita, a maior parte das decisões do Supremo nomeado por Republicanos decidindo a favor da Citizens United dos irmãos Koch, o fluxo de bilhões de dólares de doadores anônimos para o bloco eleitoral mais confiável do Partido Republicano – a Direita Cristã – a versão anti-governo, biblicamente incompatível, pró-desregulamentação de negócios, anti-saúde-para-todos americano de cristianismo do Tea-party continuará a se perpetuar.

CJ Werleman é o autor de  Crucifying America  e  God Hates You, Hate Him Back . Siga-o no Twitter  @cjwerleman .

Receita para ser um sofredor profissional…

Padrão

 Tradução José Filardo

tears

Crédito da foto: Shutterstock.com

Os 14 Hábitos das Pessoas Altamente Sofredoras ou Como ter sucesso na autossabotagem.

Por  Cloe Madanes 

A maioria das pessoas alega querer ser feliz, ter uma vida significativa, divertir-se, experimentar a realização, compartilhar amor e amizade com outras pessoas e, talvez, outras espécies, tais como cães, gatos, pássaros e outros enfeites. Estranhamente, no entanto, algumas pessoas agem como se elas só quisessem sofrer, e elas têm notável sucesso em atrair o sofrimento para suas vidas, mesmo que elas obtenham pouco benefício aparente dele, já que ser sofredora não as ajuda a encontrar amantes e amigos , conseguir melhores empregos, ganhar mais dinheiro, ou ter férias mais interessantes. Por que elas fazem isso? Depois de ler atentamente a produção de alguns dos melhores cérebros na profissão da terapia, cheguei à conclusão de que o sofrimento é uma forma de arte, e a satisfação que as pessoas parecem encontrar nele reflete o esforço criativo necessário para cultivá-lo. Em outras palavras, quando suas condições de vida são estáveis, pacíficas e prósperas, sem guerras civis violentas em suas ruas, sem fome em massa, sem doença epidêmica, sem as humilhações vindas da pobreza – tornar-se sofredor é uma arte em si mesma, exigindo imaginação, visão e engenhosidade. Ela pode até mesmo dar à vida um significado distinto.

Assim, se você aspira a tornar-se um sofredor, quais são as melhores e mais comprovadas técnicas para fazê-lo? Vamos excluir algumas maneiras óbvias, tais como usar drogas, cometer crimes, jogar e bater em sua esposa ou seu vizinho. Estratégias mais sutis, aquelas que não levarão ninguém a suspeitar que você está agindo deliberadamente, podem ser altamente eficazes. Mas, você precisa fingir que quer ser feliz como todo mundo, ou as pessoas não vão levar o seu sofrimento a sério. A verdadeira arte é comportar-se de maneira que o levarão ao sofrimento, permitindo-lhe ao mesmo tempo afirmar que você é uma vítima inocente, idealmente das próprias pessoas de quem você está arrancando compaixão e piedade à força.

Nesse texto, eu cubro a maioria das áreas da vida, tais como família, trabalho, amigos e parceiros românticos. Essas áreas se sobrepõem muito bem, uma vez que você não pode arruinar a sua vida sem arruinar o seu casamento e talvez seus relacionamentos com seus filhos e amigos. É inevitável que, ao tornar-se um sofredor, você estará fazendo aqueles ao seu redor também sofredores, pelo menos até que eles o abandonem, o que lhe dará mais um motivo para se sentir miserável. Portanto, é importante ter em mente os benefícios que você está acumulando com seu sofrimento.

• Quando você está infeliz, as pessoas sentem pena de você. Não só isso, elas muitas vezes se sentem culpadas obscuramente, como se seu sofrimento pudesse de alguma forma ser culpa deles. Isso é bom! Há poder em fazer outras pessoas se sentir culpadas. As pessoas que te amam e aquelas que dependem de você pisam em ovos para certificar-se de que elas não digam ou façam nada que aumente o seu sofrimento.

• Quando você está infeliz, já que não tem esperanças e espera que nada de bom aconteça, você não pode ficar desapontado ou desiludido.

• Ser sofredor pode dar a impressão de que você é uma pessoa sensata e mundana, especialmente se você não sofre apenas em relação à sua vida, mas em relação à sociedade em geral. Você pode projetar uma aura de alguém sobrecarregado por uma forma de conhecimento profundo, trágico, existencial que as pessoas felizes e superficiais não podem apreciar.

Aprimorando suas habilidades de sofrer

Vamos direto ao ponto e dar uma olhada em algumas estratégias eficazes para se tornar infeliz. Essa lista não é de forma alguma exaustiva, mas dedicar-se a quatro ou cinco dessas práticas ajudará a refinar seu talento.

1. Tenha medo, tenha muito medo da perda econômica. Em tempos econômicos difíceis, muitas pessoas têm medo de perder seus empregos ou a poupança. A arte de estragar a sua vida consiste em ceder a esses medos, mesmo quando há pouco risco de que você vá realmente sofrer tais prejuízos. Concentre-se nesse medo, torne-o uma prioridade em sua vida, reclame continuamente que você pode falir a qualquer momento, e queixe-se de quanto custa tudo, especialmente se outra pessoa está comprando. Tente iniciar discussões sobre a maneiras irresponsáveis e perdulárias de outras pessoas, e sugira que a recessão resultou de comportamento fiscal irresponsável como o delas.

Temer perdas econômicas tem várias vantagens. Primeiro, ele o manterá trabalhando para sempre em um trabalho que você odeia. Em segundo lugar, ela equilibra muito bem a ganância, uma obsessão com o dinheiro, e um egoísmo que até mesmo Ebenezer Scrooge invejaria. Em terceiro lugar, você não só vai alienar os seus amigos e familiares, mas provavelmente vai se tornar ainda mais ansioso, deprimido, e possivelmente até mesmo doente com suas preocupações com dinheiro. Bom trabalho!

Exercício: Sente-se em uma cadeira confortável, feche os olhos, e, por 15 minutos, medite sobre todas as coisas que você pode perder: seu emprego, sua casa, suas economias, e assim por diante. Então remoa a perspectiva de viver em um abrigo para sem tetos.

2. Pratique o tédio sustentado. Cultive o sentimento de que tudo é previsível, que a vida não tem qualquer emoção, de que não há possibilidade de aventura, de que uma pessoa inerentemente fascinante como você foi condenada a uma vida completamente tediosa e sem sentido, não por sua própria culpa. Reclame muito sobre como você está entediado. Torne isso o principal tema de conversa com todos que você conhece; assim eles terão a nítida sensação de que você acha que eles são chatos. Considere provocar uma crise para aliviar o tédio. Ter um caso (isso funciona melhor se você já está casado e ainda melhor se você tem um caso com alguém que é casado); vá repetidamente às compras de roupas, carros, eletrodomésticos sofisticados, equipamentos esportivos (leve vários cartões de crédito, caso algum deles estoure o limite); inicie brigas sem sentido com o seu cônjuge, chefe, filhos, amigos e vizinhos, tenha outro filho; saia do seu emprego, limpe sua conta de poupança, e mude para um estado sobre o qual você nada saiba.

Um outro benefício de estar entediado é que você inevitavelmente se torna um chato. Amigos e parentes passarão a evitá-lo. Você não vai ser mais convidado para nada, ninguém vai querer telefonar-lhe e muito menos, na verdade vê-lo. Quando isso acontece, você vai se sentir solitário e ainda mais entediado e infeliz.

Exercício: Esforce-se para assistir a horas de programas de reality show estúpidos todos os dias, e leia apenas jornais e revistas chatos que deixam você sentindo-se embotado. Evite a literatura, arte, e mantenha-se alheio aos assuntos atuais.

3. Atribua-se uma identidade negativa. Permita que um problema emocional percebido absorva todos os outros aspectos de sua autoidentificação. Se você se sente deprimido, torne-se uma pessoa deprimida; se você sofre de ansiedade social ou de uma fobia, assuma a identidade de uma pessoa fóbica ou de uma pessoa com transtorno de ansiedade. Faça de sua condição o foco de sua vida. Fale sobre isso com todo mundo, e certifique-se de ler sobre os sintomas, de modo que você possa falar sobre eles com conhecimento e sem parar. Pratique os comportamentos mais associados a essa condição, principalmente quando ela interfere com as atividades e relacionamentos regulares. Concentre-se em como você está deprimido e torne-se choroso, se essa é a sua identidade escolhida. Recuse-se a ir a lugares ou tentar coisas novas porque elas tornam você muito ansioso. Provoque ataques de pânico em lugares que eles causarão maior tumulto. É importante mostrar que você não gosta desses estados ou comportamentos, mas que não há nada que você possa fazer para impedi-los.

Pratique colocar-se no estado fisiológico que representa a sua identidade negativa. Por exemplo, se a sua identidade negativa é de pessoa deprimida, curve os ombros, olhe para o chão, respire superficialmente. É importante condicionar o seu corpo para ajudá-lo a atingir seu pico negativo, o mais rapidamente possível.

Exercício: Escreva 10 situações que lhe tornam ansioso, deprimido ou distraído. Uma vez por semana, escolha uma única situação provocadora de ansiedade, e use-a para colocar-se em pânico por pelo menos 15 minutos.

4. Brigue muito. Esta é uma maneira excelente de arruinar um relacionamento com um parceiro romântico. De vez em quando, de forma imprevisível, comece uma briga ou tenha um ataque de chro sobre algo trivial e faça acusações infundadas. A interação deve durar pelo menos 15 minutos e ocorrer de preferência em público. Durante o acesso de raiva, espere que o seu parceiro seja gentil e simpático, mas caso ele ou ela mencione isso mais tarde, insista que você nunca fez tal coisa, e que ele ou ela deve ter entendido mal o que você estava tentando dizer. Aja como se tivesse sido ofendido e magoado, por seu parceiro de alguma ter insinuado que você não estava se comportando bem.

Outra maneira de fazer isso é dizer de forma inesperada, “Precisamos conversar”, e, em seguida, disparar sobre seu parceiro uma barragem de afirmações sobre como você está decepcionado com o relacionamento. Certifique-se de começar essa barragem, assim que o seu parceiro está prestes a sair para algum compromisso ou atividade, e recuse-se a encerrá-la por pelo menos uma hora. Outra variação é de mandar uma mensagem de texto ou telefonar ao seu parceiro no trabalho de expressar seus problemas e decepções. Faça o mesmo se o seu parceiro estiver fora com os amigos.

Exercício: Escreva 20 mensagens de texto chatas você pode enviar para um parceiro romântico. Mantenha uma lista de rancores em atividade, e acrescente alguma coisa a ela diariamente.

5. Atribua más intenções. Sempre que puder, atribua as piores intenções possíveis ao seu parceiro, amigos e colegas de trabalho. Pegue qualquer comentário inocente e transforme-o em um insulto ou tentativa de humilhá-lo. Por exemplo, se alguém perguntar: “Você gosta de tal e tal filme?”, você deve pensar imediatamente – Ele está tentando me humilhar, provando que eu não entendi o filme – ou – Ele está se preparando para me dizer que eu tenho mau gosto para filmes. A ideia é sempre esperar o pior das pessoas. Se alguém está atrasado para o jantar, enquanto você os espera, lembre-se de todas as outras vezes que a pessoa esteve atrasada, e diga a si mesmo que ele ou ela está fazendo isso deliberadamente para lhe menosprezar. Certifique-se de que no momento em que a pessoa chega, ou você está fervendo ou está tão desanimado(a) que a noite está arruinada. Se a pessoa perguntar o que está errado, não diga uma palavra: deixe-o(a) sofrer.

Exercício: Liste os nomes de cinco parentes ou amigos. Para cada um, escreva algo que ele ou ela disse ou fez no passado recente, que comprova que eles são tão determinados a aumentar seu sofrimento quanto você mesmo(a) está.

6. Não importa o que você faça, faça-o somente para ganho pessoal. Às vezes você será tentado a ajudar alguém, contribuir para uma instituição de caridade, ou participar de uma atividade da comunidade. Não faça isso, a menos que haja algum ganho para você, por exemplo, a oportunidade de parecer ser uma boa pessoa ou conhecer alguém a quem você pode pedir o dinheiro um dia. Não caia na armadilha de fazer algo simplesmente porque você quer ajudar as pessoas. Lembre-se que seu principal objetivo é cuidar de Numero Um, mesmo que você odeie a si mesmo.

Exercício: Pense em todas as coisas que você fez para os outros no passado, que não tenham sido correspondidas. Pense em como todos ao seu redor estão tentando tirar alguma coisa de você. Agora liste três coisas que você poderia fazer e que fariam você parecer altruísta, enquanto lhe trazem ganho pessoal, social ou profissional.

7. Evite a gratidão. Pesquisas mostram que pessoas que expressam gratidão são mais felizes do que aqueles que não o fazem, portanto nunca expresse gratidão. Contar suas bênçãos é para idiotas. Que bênçãos? A vida é sofrimento, e então você morre. O que há para ser grato?

Amigos e parentes bem-intencionados tentarão sabotar seus esforços para ser ingrato(a). Por exemplo, enquanto você está no meio de uma reclamação sobre o projeto que você adiou no trabalho ao seu cônjuge durante um jantar pouco saudável, ele ou ela pode tentar lembrá-lo(a) de quão grato você deve estar por ter um emprego ou simplesmente comida. Tais tentativas de encorajar a gratidão e alegria são comuns e facilmente desviados. Basta salientar que as coisas pelas quais você deveria ser grato(a) não são perfeitos – que o(a) libera para encontrar tantas falhas com elas quanto você queira.

Exercício: Faça uma lista de todas as coisas pelas quais você poderia ser grato. Ao lado de cada item, anote por que você não é. Imagine a pior. Quando você pensa do futuro, imaginar o pior cenário possível. É importante estar preparado para e preventivamente sofredor sobre qualquer possível desastre ou tragédia. Pense nas possibilidades: ataques terroristas, desastres naturais, doenças fatais, acidentes horríveis, enormes perdas de colheitas, seu filho não ser escolhido para o time de futebol do colégio.

8. Esteja sempre alerta e em um estado de ansiedade. Otimismo sobre o futuro só leva à decepção. Portanto, você tem que fazer o melhor para acreditar que seu casamento vai afundar, seus filhos não vão te amar, seu negócio vai falir, e nada de bom jamais funcionará para você.

Exercício: Faça alguma pesquisa sobre quais catástrofes naturais ou provocadas pelo homem podem ocorrer em sua área, tais como terremotos, inundações, vazamentos de usinas nucleares, surtos de raiva. Concentre-se nessas coisas pelo menos uma hora por dia.

9. Culpe seus pais. Culpar os pais por seus defeitos, deficiências e fracassos é um dos passos mais importantes que você pode dar. Afinal, seus pais fizeram de você quem você é hoje; você não teve nada a ver com isso. Se por acaso você tiver quaisquer qualidades ou sucessos, não dê o crédito aos seus pais. Esses são acasos.

Estenda a culpa a outras pessoas de seu passado: o professor de segundo grau que gritou com você no refeitório, o menino que intimidava quando você tinha 9 anos de idade, o professor da faculdade que lhe deu uma nota baixa em um trabalho, o seu primeiro namorado, até mesmo a cidade caipira em que você cresceu – as possibilidades são ilimitadas. A culpa é essencial na arte de ser um sofredor.

Exercício: Ligue para um de seus pais e diga a ela ou a ele que você acaba de lembrar de algo horrível que fizeram quando você era uma criança, e certifique-se que ele ou ela entenda quão terrível aquilo fez você se sentir, e que você ainda está sofrendo com isso.

10. Não desfrute os prazeres da vida. Ter prazer em coisas como comida, vinho, música e beleza é para pessoas volúveis e superficiais. Diga isso a si mesmo(a). Se você, inadvertidamente, descobrir-se desfrutando algum sabor, música ou obra de arte, lembre-se imediatamente que estes são prazeres transitórios, que não podem compensar o estado miserável do mundo. O mesmo se aplica à natureza. Se você acidentalmente encontrar-se apreciando uma bela vista, uma caminhada pela praia, ou um passeio por uma floresta, pare! Lembre-se de que o mundo está cheio de pobreza, doença e devastação. A beleza da natureza é um engano.

Exercício: Uma vez por semana, envolva-se em uma atividade que deveria ser agradável, mas faça isso enquanto pensa em como ela é inútil. Em outras palavras, concentre-se na remoção de toda a sensação de prazer da atividade prazerosa.

11. Rumine. Gaste uma grande parte do tempo focado em si mesmo. Preocupe-se constantemente com as causas de seu comportamento, analise seus defeitos e remoa seus problemas. Isso ajudará a promover uma visão pessimista da vida. Não se permita tornar-se distraído por alguma experiência ou influência positiva. O objetivo é garantir que até mesmo pequenas perturbações e dificuldades pareçam ser enormes e portentosas.

Você pode refletir sobre problemas dos outros ou do mundo, mas torne-os sobre você. Seu filho está doente? Reflita sobre como é um fardo para você tirar uma folga do trabalho para cuidar dele. Seu cônjuge é magoado por seu comportamento? Concentre-se em quão terrível isso faz você se sentir quando ele/ela mostra como você o(a) faz sentir. Ruminando não só sobre seus próprios problemas, mas também os dos outros, você parecerá ser um pensador profundo e sensível que carrega o peso do mundo sobre seus ombros.

Exercício: Sente-se em uma cadeira confortável e procure sentimentos negativos, tais como raiva, depressão, ansiedade, tédio, qualquer coisa. Concentre-se nesses sentimentos por 15 minutos. Durante o resto do dia, mantenha-os na parte de trás de sua mente, não importa o que você estiver fazendo.

12. Glorifique ou difame o passado. Glorificar o passado é dizendo a si mesmo como a vida era boa, feliz, afortunada, e como valia a pena viver quando você era uma criança, um jovem ou um recém-casado(a) – e lamentando como tudo foi ladeira abaixo desde então. Quando você era jovem, por exemplo, você era glamorosa e dançava samba com homens bonitos na praia no crepúsculo, e agora você está em um casamento assim-assim com um regulador de seguros em Cuiabá. Você deveria ter casado o alto e moreno Antonio. Você deveria ter investido na Microsoft quando teve a chance. Em suma, concentre-se no que você poderia ter sido e deveria ter feito, em vez de o que você fez. Isto vai certamente tornar você infeliz.

Difamar o passado também é fácil. Você nasceu no lugar errado na hora errada; você nunca teve o que precisava, você se sentia discriminado; você nunca for a um acampamento de verão. Como você pode ser feliz quando você teve antecedentes tão ruins? É importante pensar que as más lembranças, erros graves, e eventos traumáticos foram muito mais influentes na sua formação e em seu futuro do que boas lembranças, os sucessos e os acontecimentos felizes. Concentre-se nos maus momentos. Torne-se obcecado sobre eles. Valorize-os. Isso lhe garantirá que, não importa o que está acontecendo no presente, você não será feliz.

Exercício: Faça uma lista de suas más recordações mais importantes e mantenha-a onde possa revê-la com frequência. Uma vez por semana, conte a alguém sobre sua infância horrível ou quão melhor era a sua vida 20 anos atrás.

13. Encontre um parceiro romântico para reformar. Certifique-se de que você se apaixone por alguém com um grande defeito (colecionador de gatos, jogador, alcoólatra, mulherengo, sociopata), e comece a reformá-lo(a), independentemente de ele ou ela querer ser reformado(a). Acreditamos firmemente que você pode reformar essa pessoa, e ignore todas as evidências em contrário.

Exercício: Vá para sites de namoro online e veja quantas más escolhas você pode encontrar em uma tarde. Envide esforços para encontrar essas pessoas. É bom se o site de namoro cobra muito caro, já que isso significa que você estará emocionalmente carente e pobre.

14. Seja crítico(a). Certifique-se de ter uma interminável lista de desgostos e expresse-os com frequência, tenha ou não sido solicitada a sua opinião. Por exemplo, não hesite em dizer: “É isso que você escolheu vestir esta manhã?” ou “Por que a sua voz é tão estridente?” Se alguém está comendo ovos, diga-lhe que você não gosta de ovos. Sua negatividade pode ser aplicada a praticamente qualquer coisa.

Ajuda bastante se as coisas que você critica são muito apreciados pela maioria das pessoas, de modo que seu desagrado a distinga deles. Não gostar do tráfego e de mosquitos não é suficientemente criativo: todo mundo sabe como é encontrar essas coisas irritantes, e eles não prestarão muita atenção se você achá-los chato também. Mas não gostar do novo filme que todos os seus amigos estão elogiando? Você vai encontrar muitas oportunidades de contrariar críticas elogiosas dos seus amigos com a sua opinião contrária.

Exercício: Faça uma lista de 20 coisas de que você não gosta e veja quantas vezes você pode inseri-las em uma conversa ao longo do dia. Para melhores resultados, não goste de coisas que você nunca se deu a chance de gostar.

—–

Acabei de listar 14 maneiras de se tornar infeliz. Você não tem que adotar cada uma delas, mas mesmo se você tiver sucesso com apenas quatro ou cinco, certifique-se de repreender a si mesmo(a) regularmente por não ser capaz de adotar a lista inteira. Se você estiver no consultório do(a) terapeuta – porque alguém que ainda está agarrado ao seu amor por você lhe enganou e induziu a fazê-lo – certifique-se de que seu sofrimento pareça orgânico. Se o terapeuta esclarece você qualquer forma ou lhe ensina técnicas de mente-corpo para acalmar sua mente ansiosa, certifique-se de cooptar a conversa e falar sobre seus sonhos cheios de sofrimento da noite anterior. Se o terapeuta é especializado em análise de sonhos, comece rapidamente a reclamar do custo da própria terapia. Se o terapeuta utiliza as suas queixas como uma rampa de lançamento para discutir questões de transferência, acuse-o(a) de ter problemas de contratransferência. Em última análise, o terapeuta é seu inimigo ao tentar cultivar sofrimento em sua vida. Assim, saia o mais rápido possível. E se acontecer de você encontrar um(a) terapeuta que se sente em silêncio enquanto você traz todos os 14 itens nesta lista à tona a cada semana, me ligue. Eu vou querer fazer uma consulta também.

Cloe Madanes é uma inovadora mundialmente renomado e professora de família e terapia breve e um dos autores da abordagem estratégica à terapia familiar. Ela é autora de sete livros que são clássicos no campo: Terapia Familiar Estratégica; Por trás do espelho transparente; Sexo, Amor e Violência, o Significado Secreto do Dinheiro, a Violência dos Homens, o Terapeuta enquanto Humanista, Ativista Social e Pensador Sistêmico, e Descober do Relacionamento. Contato:  madanesinstitute@gmail.com  .

Publicado em: http://www.alternet.org/personal-health/14-habits-highly-miserable-people?paging=off&current_page=1#bookmark

La Recherche du temps perdu ou para os íntimos, a Horta da Luzia

Padrão

Os “veios” devem se lembrar do Pasquim. Era um tabloide publicado na década de 70 e 80 que se opunha ao regime militar e que reunia os intelectuais de esquerda, incluindo jornalistas e humoristas, o que dava um tom sui generis ao jornal. Foi o avô do CQC.

Foi lá que vi a expressão “horta da luzia”. Isso tem relação com uma expressão “você vai ganhar o que a Luzia ganhou atrás da horta”, mas no Pasquim significava uma espécie de exercício proustiano.

Pois é. Durante aquele período de minha existência que chamo de “verdadeira vida”, de 1968 a 1971, meu irmão, Nicola, alugou um apartamento na Rua da Consolação onde eu também acampava. Sim. Acampava porque era um acampamento, não um apartamento. Para se ter uma ideia, meu guarda-roupa era uma cama colocada em 45 graus contra a parede, com os cabides dependurados embaixo dela, no estrado, e cobertores, etc. sobre a parte inclinada. E eu dormia sobre um colchão no chão. Mas, era um lar…

Certa noite, eu e o Nicola, cada um em sua cama, no escuro, começamos a conversar sobre reminiscências da infância e da juventude e o assunto derivou para lembranças de quem morava onde.

Aí começamos pelo Seu Oracildes, à esquerda de nossa casa na Rua Marechal Deodoro, 99. Fisicamente à esquerda, porque o Seu Oracildes era de extrema direita. Em seguida vinha a Dona Coleta Mendes que morava em um apartamento anexo à casa do Donga, casado com a filha dela, Julieta e pais da Sueli.

Na direção norte ficava o seu Cefalini, mais tarde o Alírio e o Claudio Coutinho; depois vinha o açougue do seu Leôncio, pai do Oracildes, e a casa-cartório dele, que era tabelião; daí vinha o salão de cabeleleireira da Tia Nenê, irmã de minha mãe, anexo à casa-sapataria do Pedro Guerci, pais do Angelo e da Graça. Virando à esquerda, descendo a Dr. Pedro de Toledo ficava a casa do Armando Berozzi, com sua horta imaculada. Quando plantava pimentão, diziam que ele podava cada pé com alicate de cutícula. Um brinco. Mais abaixo a casa da Tia Nair, prima de minha mãe, mulher do Tio Otinho. O nome dele Otto Mathes. Meu ídolo. Montou o primeiro radio galena da cidade, sabia tudo sobre eletrônica e era completamente ateu. Abaixo da casa deles estava a casa do Fernando Castro, filho da minha professora do terceiro ano, D. Laura. O Fernando e o Tuca, filho da Tia Nair, um dia fugiram de casa. Lembro-me do fuzuê. Virando a esquina, na Rua Tupinambas, vinha a casa do Pedro Alemão, depois uma casa que não me recordo o nome e em seguida o Quinha Lemes, eletricista. Subindo a Francisco Maia havia a casa do Zé Policici, mais uma que não me lembro e fechava de novo na casa do Donga.

E assim íamos, intercalando lembranças sobre as pessoas, à medida que os nomes surgiam, e montávamos, quadra por quadra os residentes no centro velho da cidade, a partir de nossa casa.

Foi uma noite memorável.

Ballad of Finnegans Wake

Padrão

Traditional

NO YOUTUBE

Tim Finnegan lived in Walkin Street, a gentle Irishman mighty odd

He had a brogue both rich and sweet, an’ to rise in the world he carried a hod

You see he’d a sort of a tipplers way but the love for the liquor poor Tim was born

To help him on his way each day, he’d a drop of the craythur every morn

Whack fol the dah now dance to yer partner around the flure yer trotters shake

Wasn’t it the truth I told you? Lots of fun at Finnegan’s Wake

One morning Tim got rather full, his head felt heavy which made him shake

Fell from a ladder and he broke his skull, and they carried him home his corpse to wake

Rolled him up in a nice clean sheet, and laid him out upon the bed

A bottle of whiskey at his feet and a barrel of porter at his head

Whack fol the dah now dance to yer partner around the flure yer trotters shake

Wasn’t it the truth I told you? Lots of fun at Finnegan’s Wake

His friends assembled at the wake, and Mrs Finnegan called for lunch

First she brought in tay and cake, then pipes, tobacco and whiskey punch

Biddy O’Brien began to cry, “Such a nice clean corpse, did you ever see,

Tim avourneen, why did you die?”, “Will ye hould your gob?” said Paddy McGee

Whack fol the dah now dance to yer partner around the flure yer trotters shake

Wasn’t it the truth I told you? Lots of fun at Finnegan’s Wake

Then Maggie O’Connor took up the job, “Biddy” says she “you’re wrong, I’m sure”

Biddy gave her a belt in the gob and left her sprawling on the floor

Then the war did soon engage, t’was woman to woman and man to man

Shillelagh law was all the rage and a row and a ruction soon began

Whack fol the dah now dance to yer partner around the flure yer trotters shake

Wasn’t it the truth I told you? Lots of fun at Finnegan’s Wake

Mickey Maloney raised his head when a bucket of whiskey flew at him

It missed, and falling on the bed, the liquor scattered over Tim

Bedad he revives, see how he rises, Timothy rising from the bed

Saying “Whittle your whiskey around like blazes, t’underin’ Jaysus, do ye think I’m dead?”

Whack fol the dah now dance to yer partner around the flure yer trotters shake

Wasn’t it the truth I told you? Lots of fun at Finnegan’s Wake

Balanço anual ? Coisa de velho…

Padrão

Todo fim de ano é a mesma coisa. Começam os balanços de acontecimentos do ano como se fossemos todos contadores e nossas vidas reduzíveis a números.  Acho que os velhos começam a fazer isso, porque começam a ver chegar a hora da auditoria final.

Bem, para não fugir à regra, resolvi fazer o meu balanço e este foi o relatório dos auditores.

RELATÓRIO

A empresa atual é um “spin-off” de Souza & Filardo Cia. Ltda. constituída na década de 40 em Caconde – SP com um capital bastante limitado e transferida na década de 60 para São Paulo onde adquiriu uma sede. Esta empresa cresceu modestamente do ponto de vista de ativos permanentes, e privilegiou o investimento em tecnologia, conseguindo com isso uma produção de boa qualidade, atualizada, incorporando o estado da arte ao seu produto.

A empresa Querci & Filardo, objeto desse relatório, começou em 1973. Também começou com um capital bastante limitado, visto que os acionistas não haviam recebido ativos significativos de suas matrizes, além da incorporação de tecnologia ocorrida na produção daquelas empresas, o que representou um diferencial bastante importante no desenvolvimento do novo empreendimento.

Logo após a sua constituição, a nova empresa instalou-se em imóvel alugado no bairro de Perdizes, até que, aproveitando condições de mercado favoráveis captou recursos financeiros e adquiriu uma sede modesta no bairro de Pinheiros, financiada em longo prazo.  Um dos sócios entrara na sociedade com um veículo que servia para o desenvolvimento das atividades empresariais. Durante algum tempo, a empresa dedicou-se apenas à acumulação de capital e manutenção de veículos até que foram criadas as condições para iniciar a produção, o que ocorreu na década de 80.

Contando com sócios fieis à empresa – nenhum deles investia no mercado – o capital foi gradativamente crescendo, investimentos foram feitos principalmente no aperfeiçoamento dos produtos, na amortização do empréstimo para aquisição da sede, troca periódica da frota de veículos, alguns pequenos investimentos de longo prazo, e em uma sede secundaria no interior utilizada para lazer.

Amortizado o empréstimo para a aquisição da sede e existindo a necessidade de ampliação das instalações da empresa, uma nova sede foi adquirida mediante a venda da sede antiga, somado ao capital acumulado durante os anos e à venda da sede secundária.  A nova sede era bem mais ampla e permitia inclusive acomodar a empresa, incluindo o estoque da produção de maneira mais adequada. Estava um pouco desgastada e exigindo reforma, mas finalmente ficou adequada, embora que não fosse ideal.

Na virada do século, a empresa Souza & Filardo Cia Ltda, entrou em recesso, com a aposentadoria dos sócios, e transferiu  seus ativos às suas sucessoras, o que permitiu à Querci & Filardo adquirir uma segunda sede para sua mais recente “spin-off” –  Filardo, Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (E.I.R.L.) situada não muito distante da sede da Querci & Filardo Cia. Ltda.

Assim, ao final de 2012, a empresa encontra-se estabilizada, houve aumento de capital, tem um fluxo de caixa normal, um nível de ativos que lhe assegura uma posição confortável; foram feitos investimentos na sede da empresa, usando os serviços da subsidiária Filardo E.I.R.L. que resultaram em instalações confortáveis e esteticamente satisfatórias. Foram renovados equipamentos de ar condicionado e hidráulica, assim como renovada a frota de veículos.

Os sócios encontram-se no momento em boas condições de saúde, apesar do desgaste normal do uso. Alguns problemas que os afetaram nos últimos anos foram equacionados a contento.

Essa auditoria, portanto, é de opinião que a empresa é sólida, tem perspectiva positiva para os próximos anos, sendo recomendada a novos sócios que eventualmente se interessem em entrar para o grupo.

Evasão…

Padrão

Em outubro, durante um procedimento cirúrgico com anestesia geral, uma de minhas duas personalidades aproveitou e evadiu-se… Encontra-se agora em local incerto e não-sabido.

Estive no hospital, na seção de achados e perdidos, para ver se uma faxineira, ou alguém do staff tinha visto a personalidade vagando pelos corredores ou escondida em algum canto do prédio. Nada. Ninguém viu. Escafedeu-se.

Já era evidente o conflito entre ela e a outra, no espaço vital restrito em que operavam, mas isso não era esperado.

O problema é que era a melhor das minhas personalidades, aquela que demonstrava bom humor, curiosidade por novidades, uma saudável indisciplina e o gosto por coisas mais sofisticadas. Queria voltar à Universidade, mudar de partido político, cozinhar todos os pratos do mundo. Era um pouco irresponsável, verdade, mas eu sempre contei com a outra para mantê-la na linha, e foi provavelmente devido a este enquadramento que ela decidiu ganhar o mundo.

A esta altura, deve estar em Paris, sentada no Champs Elysees, tomando um rouge, curtindo a liberdade. De lá provavelmente vai para a Calábria conhecer a terra de meus antepassados italianos. De lá certamente irá mergulhar nas águas transparentes do Tahiti.