Blogue do Zé Filardo

Leituras selecionadas e assuntos diversos

O inconsciente coletivo brasileiro

Uma noite dessas, abraçado à Gisele Bundchen, com a cabeça no colo da Kendal Jenner e segurando a mão da JayLo  –  meus travesseiros –  eu refletia sobre o inconsciente coletivo, conceito daquele velhinho genial chamado Carlos Jung.

Segundo ele, os povos também tem o lado negro da força – a Sombra – que é a soma de todas as sombras das pessoas que compõem o povo. Ele chama isso de Inconsciente Coletivo.

Pois bem, a prática comprovou que os brasileiros são em maior ou menor medida corruptos. Não aquela corrupção escandalosa de malas de dinheiro e contas offshore, mas a corrupção em pequenas coisas: levar vantagem em tudo, baixar software e músicas na internet, subornar o guarda, furar a fila, etc.

Dessa forma, pode-se dizer que a corrupção é parte do Inconsciente Coletivo brasileiro, e sempre foi fatorada em investimentos internos e externos, como parte do modo de fazer negócios no Brasil.

Mas, ao mesmo tempo, ela sempre foi o calcanhar de Aquiles da República, uma vez que a qualquer momento a revelação de corrupção podia derrubar políticos.

Nada mais fácil, portanto, para o Departamento de Estado Americano provocar a ruína do Brasil que progressivamente se tornava uma pedra em seu sapato.

A adesão do país aos BRICS, a fundação do Banco dos Brics, a criação de um fundo monetário no âmbito dos Brics, tudo isso contrariava o FMI e o governo americano,  a mídia internacional colocando o Brasil como quinta economia no mundo e destacando sua liderança entre os países emergentes. As famosas “forças ocultas” que já haviam derrubado Getúlio Vargas, promovido o golpe de estado de Primeiro de Abril de 64 precisavam fazer alguma coisa.

Não tiveram que procurar muito. Sim, porque o país está cheio de Joaquins Silvérios dos Reis entreguistas fascinados pelo poder imperialista dos americanos.

Mas, não se tratava só de derrubar um governo democraticamente eleito, como fizeram no Chile de Salvador Allende.  Quiseram aniquilar a esquerda, representada pelo Partido dos Trabalhadores, e Luiz Inácio “Lula” da Silva.

Apoiados pela mídia, principalmente pela Rede Globo, também conhecida como Rede Goebells, as forças entreguistas composta de traidores da pátria atacou a Petrobrás e derrubou um governo democraticamente eleito que funcionava dentro da dinâmica do inconsciente coletivo brasileiro, ou seja, incorporava a corrupção em seu funcionamento e de quebra quebrou o país. No more BRICS.

A corrupção é indesculpável em qualquer governo, mas talvez seja percebida como mais grave em governos de esquerda.

Encontraram um juiz federal disposto a fazer o trabalho sujo, apoiado pela Rede Globo e outras forças interessadas em derrubar o governo.  E deu-se a melódia !”.

E o povo? E a classe média?  Vitimas da mídia, aderiram ao golpe e saíram à rua batendo panelas e falando merda.

A economia entrou em queda livre e os golpistas se revelaram incompetentes para estabilizar a grande aeronave que se precipitava em direção ao abismo. A desorganização da produção provocada pelo Inquisidor de Curitiba foi aumentando gradualmente, à medida que ele atacava diferentes setores, de acordo com as ordens recebidas de Washington, prejudicando seletivamente a economia brasileira naquilo que interessava a grupos internacionais. E os entreguistas começaram a vender lotes do Pré-Sal – o futuro das gerações brasileiras –  bem como outros itens do patrimônio nacional.

O Inquisidor de Curitiba, atropelando a lei e a justiça, condenou o Presidente Lula – o melhor presidente que esse país jamais teve – para que ele fosse impedido de disputar as eleições, para as quais mostrava liderança incontrastável nas pesquisas de voto.

O Brasil, apesar da corrupção endêmica e histórica funcionava, crescia e começava a ocupar um lugar no mundo durante os governos do PT, o que era imperdoável para os “nossos amigos americanos (que) com muita fé, muita fé, nos deram dinheiro e nós plantamos só café, só café…” como dizia o Carlinhos Lyra na Canção do Subdesenvolvido.  Aliás, por oportuno, vou transcrever a letra da música e o link para o youtube: https://youtu.be/opFt_gLoA5A

 

Canção do Subdesenvolvido

Carlos Lyra

O Brasil é uma terra de amores
Alcatifada de flores
Onde a brisa fala amores
Em lindas tardes de abril
Correi pras bandas do sul
Debaixo de um céu de anil
Encontrareis um gigante deitado

Santa Cruz…hoje o Brasil
Mas um dia o gigante despertou
Deixou de ser gigante adormecido
E dele um anão se levantou
Era um país subdesenvolvido
Subdesenvolvido, subdesenvolvido, etc. (refrão)

E passado o período colonial
O país passou a ser um bom quintal
E depois de dar as contas a Portugal
Instaurou-se o latifúndio nacional, ai!
Subdesenvolvido, subdesenvolvido (refrão)

Então o bravo povo brasileiro
Em perigos e guerras esforçado
Mas que prometia a força humana
Plantou couve, colheu banana..
Bravo esforço do povo brasileiro
Mas não vi o capital lá do estrangeiro

Subdesenvolvido, subdesenvolvido… etc. (refrão)

As nações do mundo para cá mandaram
Os seus capitais tão “desinteressados”
As nações, coitadas, queriam ajudar
E aquela “Ilha Velha” não roubou ninguém

País de pouca terra, só nos fez um bem
Um “big” bem, um “big” bem, bom, bem, bom
Nos deu luz, ah! Tirou ouro, oh!
Nos deu trem, ahhh! Mas levou o nosso tesouro
Subdesenvolvido, subdesenvolvido… etc. (refrão)

Mas data houve que se acabaram
Os tempos duros e sofridos
Pois um dia aqui chegaram os capitais dos..
Países amigos
País amigo desenvolvido
País amigo, país amigo

Amigo do subdesenvolvido
País amigo, país amigo
E nossos amigos americanos
Com muita fé, com muita fé
Nos deram dinheiro e nós plantamos
Só café!
É uma terra em que plantando tudo dá
Pode se plantar tudo que quiser
Mas eles resolveram que nós iríamos plantar
SÓ CAFÉ! SÓ CAFÉ!

Bento que bento é o frade – frade!
Na boca do forno – forno!
Tirai um bolo – bolo!
Fareis tudo que seu mestre mandar?
Faremos todos, faremos todos…

Começaram a nos vender e nos comprar
Comprar borracha – vender pneu
Comprar madeira – vender navio
Pra nossa vela – vender pavio
Só mandaram o que sobrou de lá
Matéria plástica,
Que entusiástica
Que coisa elástica,
Que coisa drástica
Rock-balada, filme de mocinho
Ar refrigerado e chiclet de bola
E coca-cola…!
Subdesenvolvido, subdesenvolvido… etc. (refrão)

O povo brasileiro tem personalidade
Não se impressiona com facilidade
Embora pense como americano
Embora dance como americano
Embora cante como americano
Lá, lá, la, la, la, la
Êh, êh, meu boi
Êh, roçado bão
O meior do meu sertão, thu, thu, thu
Comeram o boi…

O povo brasileiro embora pense, dance e cante
como americano
Não come como americano
Não bebe como americano
Vive menos, sofre mais
Isso é muito importante
Muito mais do que importante
Pois difere os brasileiros dos demais
Personalidade, personalidade,
Personalidade, sem igual
Porém… subdesenvolvida, subdesenvolvida
E essa é que é a vida nacional!

 

Agora, a classe média que tanta panela bateu para derrubar um governo democraticamente eleito, sente na pele E NO BOLSO as consequências de sua burrice e ingenuidade de acreditar na mídia golpista a serviço do Departamento de Estado Americano.  A classe média foi o instrumental manipulado pela Rede Globo, com a cumplicidade de um Supremo Tribunal Federal parcial.

Descanse em paz, Democracia Brasileira. Brazil! zil! zil!

 

 

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: