Arquivo da tag: sabotagem política

Mega deve executar e-mail criptografado ‘de ponta’ após o “seppuku de privacidade” da Lavabit

Padrão

Tradução José Filardo

 

MEGA

Screenshot do mega.co.nz

 

O Mega.co.nz de Kim Dotcom está trabalhando em um serviço de e-mail altamente seguro a ser executado em um servidor fora dos Estados Unidos. Isso vem quando os EUA oprime os provedores de email que oferecem criptografia e o CEO do Mega chama o desligamento do Lavabit de um “ato honroso de Seppuku de Privacidade”.

O CEO do Mega, Vikram Kumar, que está dirigindo o desenvolvimento de tecnologia de criptografia “end-to-end” da própria empresa para proteger a privacidade dos futuros usuários do e-mail, reagiu à decisão do fundador do Lavabit de suspender as operações de seu serviço – um ato, que foi logo seguido pelo fechamento voluntário de outro serviço de e-mail seguro, o Silent Circle.

 “Estes são atos de ‘Seppuku de Privacidade” – honrada e publicamente fechar (“suicidar-se”), ao invés de ser obrigado a cumprir as leis e tentativas de tribunais de violar a privacidade das pessoas”, disse Kumar em seu blog. 

O conceito a que ele estava se referindo foi desenvolvido pelos prestadores de serviços seguros como o Cryptocloud, que fez uma promessa de ‘seppuku corporativo’ para opor-se à vigilância em massa e proteger a privacidade dos dados de seus usuários. O nome para o movimento aparentemente deriva de um suicídio ritual japonês, que era originalmente praticado pelos samurais para preservar a honra. 

De acordo com a publicação da equipe do Cryptocloud citada por Kumar, “seppuku corporativo” é “fechar uma empresa, em vez de concordar em se tornar uma extensão da rede, em contínua expansão, de vigilância secreta global organizada pela Agência de Segurança Nacional dos EUA.” 

Dessa forma, se a empresa recebe uma ordem secreta da NSA “de tornar-se um participante em tempo real em vigilância secreta, encoberta, em curso de seus clientes”, ela não será forçada a fazê-lo. A promessa que ela fez aos seus usuários a levará a fechar, ao invés disso, tornando impossível a coleta de dados. 

Tal política manifesta que “há sempre uma escolha” para qualquer empresa abordada pelos agentes, ao mesmo tempo, que ela coloca a segurança dos usuários como sua maior prioridade. 

O proprietário e operador do Lavabit.com, Ladar Levison escreveu na quinta-feira que seus nove anos de serviço de e-mail criptografado estava sendo fechado, a fim de evitar tornar-se “cúmplice de crimes contra o povo americano.” 

“Nós vemos a escrita na parede, e nós decidimos que é melhor para nós encerrar o Silent Mail agora,” escreveu então o fundador do Silent Circle, Jon Callas, em um post no blogue. 

Mas, quando a Cryptocloud exortou todas as empresas de fazer uma última promessa de proteção à privacidade, o denunciante da NSA, Edward Snowden disse em um e-mail ao The Guardian que os gigantes da internet provavelmente não se juntarão a essa ação – embora ela possa produzir resultados muito maiores. Ele exortou o Google e o Facebook a questionar a sua posição atual, chamando a decisão do proprietário do Lavabit “inspiradora”.

“Os funcionários e dirigentes do Google, Facebook, Microsoft, Yahoo, Apple e o resto de nossos titãs da internet devem se perguntar por que não estão lutando por nossos interesses da mesma forma que estão as pequenas empresas. A defesa que eles ofereceram a este ponto é que eles foram obrigados por leis com as quais eles não concordam, mas um dia de paralisação do conjunto de seus serviços poderia alcançar o que uma centena de Lavabits não poderia “, disse Snowden. 

Mega fazendo ‘o verdadeiro cripto trabalho para as massas’ 

Enquanto isso, Kumar envolveu-se em um projeto de serviço de e-mail com o que ele diz ser um nível excepcional de criptografia. 

O Mega vem fazendo um trabalho “emocionante”, mas “muito difícil” e demorado de desenvolver tanto serviço de e-mail altamente seguro e funcional, Kumar disse à ZDNet. 

“O maior obstáculo tecnológico é oferecer a funcionalidade de e-mail que as pessoas esperam, tais como busca de e-mails, que são triviais se os e-mails são armazenadas em texto simples (ou disponível em texto simples) no lado do servidor. Se tudo o que o servidor pode ver é um texto criptografado, como é o caso com a verdadeira criptografia “end-to-end”, então toda a funcionalidade tem de ser construída do lado do cliente”, explicou, acrescentando que, mesmo o Silent Circle não tentou realizar tal feito. 

“Nesta e em outras frentes, o Mega está fazendo algumas coisas extremamente avançadas. Provavelmente, não há ninguém no mundo que tome como nossa proposta central a abordagem do Mega de realizar um verdadiero trabalho de criptografia para as massas”, disse Kumar. 

De acordo com fundador da empresa Doctcom, o Mega não possui chaves de decodificação de contas de clientes e “nunca possuirá”, tornando impossível para ele ler os e-mails. Isto também significa que o Mega, propositalmente, não pode ser forçado pelas agências de inteligência a trair seus usuários. 

No entanto, anteriormente o Dotcom declarou ao TorrentFreak que a nova legislação de espionagem sendo promovida pelos EUA e seus parceiros da aliança Five Eyes – Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia – pode forçar o Mega a transferir seus servidores para algum país isento de tais jurisdições, como a Islândia. 

O governo da Nova Zelândia já está “agressivamente” de olho em legislação que obrigará todos os provedores de serviços de internet no país a criar um “acesso secreto de decodificação” para as agências de inteligência, disse ele.

http://rt.com/news/mega-secure-email-lavabit-359/

Anúncios

SABESP SABOTA SERRA

Padrão

A região da cidade que é o maior baluarte do PSDB tem suas torneiras secas por dois dias consecutivos até este momento.  O prestígio do Governador decresce a cada hora adicional em que vamos ao banheiro e não podemos dar descarga, quando abrimos a torneira maquinalmente e dela nada jorra. Setecentos e cinquenta mil pessoas afetadas e aumentando.  Se considerarmos que cada pessoa pode influenciar pelo menos cinco outras pessoas, quando chegar a hora da eleição, os descontentes serão legião.

E quem é responsável por esta situação?  Mais uma vez, a SABESP.

Os defensores do Governador, provavelmente moradores em áreas não afetadas pela falta d’água apressar-se-ão em dizer que ocorreu um acidente, em um local onde o reparo está sendo dificultado pela inundação da obra pelas águas do Rio Cordeiro.

Não discuto isso. O que discuto é a atitude da Sabesp em relação ao problema e em relação à população afetada.

O problema ocorreu na madrugada do sábado, segundo se noticiou.  Pois bem.  Os técnicos da Sabesp conhecem a rede, conhecem as vazões, sabem perfeitamente que uma interrupção daquela adutora teria como consequencia a interrupção do fornecimento de uma ampla área da cidade e estão acostumados a manobrar fluxos de água para as manutenções rotineiras de reservatórios.

Então, porque não foi transmitido um alerta na manhã do sábado para que a população se preparasse?  A população somente foi informada no fim da tarde de sábado, ou seja, consumiu água normalmente o dia todo, sem saber do problema. A pressão caiu?  E daí.  Isso é “normal”.

Durante todo o domingo e a segunda a Sabesp está cavando a Berrini, lutando contra a inundação da valeta onde se encontra a adutora a 8 metros de profundidade.  E os competentes engenheiros não falam em utilizar uma técnica milenar para abordagem deste problema, qual seja o “caisson” ou sino de mergulho.  Por quê?

Porque eles não têm interesse em resolver o problema.  Porque, ao que tudo indica, a diretoria da Sabesp está empenhada em uma campanha de descrédito do governador, comprometendo sua candidatura à Presidência da República.

Agora, no fim do dia, segunda-feira, começa-se a falar sobre algo que deveria ter sido feito na primeira hora  –  caso tivessem interesse em poupar a imagem do governador –  manobrar o fluxo de água na rede e restabelecer o fornecimento, ainda que parcial.

A população nem iria notar a precariedade, acostumada que está à perda de pressão quase que diária em suas torneiras.  Mas poderiam tomar banhos de pingos, dar descarga em seus vasos sanitários, lavar as mãos, cozinhar, enfim, estas bobagens que a população insiste em fazer e em exigir do governo. Eita povinho mal-acostumado! O Haiti é aqui. Pense no Haiti.

Mais alguns dias sem água nas torneiras e muita água nas salas de visita  da população, e o governador pode tirar o cavalo da chuva, porque sua candidatura estará fazendo água e afundando.

É triste, porque a debacle do Governador José Serra não significa que a posição de sua adversária tenha melhorado, mas, por outro lado, pode reforçar a candidatura de Marina Silva.